Amanda Araújo

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (02/07) medidas para o crédito imobiliário visando dar mais opções para quem quer financiar um imóvel. Os destaques são a inclusão das custas cartorárias e o Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) nos contratos que serão firmados nos próximos meses, além da adoção do registro eletrônico do contrato habitacional, que deve reduzir em 40 dias o andamento de um contrato nos cartórios.

O anúncio foi feito em uma live pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e Jair Mahl, vice-presidente do setor de Habitação do banco federal.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. (Crédito: José Dias/PR)

A inclusão desses custos deve gerar uma poupança de R$ 2,4 bilhões para as famílias neste segundo semestre, segundo projeção da Caixa e cerca de R$ 5 bilhões anualmente a partir do ano que vem. Segundo o anúncio, a medida já está valendo para contratos assinados e estava em testes desde abril, onde pouco mais de 3 mil contratos foram assinados com a inclusão do ITBI e custos cartorários.

Já na liberação do registro eletrônico, a expectativa é que a medida acelere as assinaturas desses contratos de financiamento. Cerca de 1.356 cartórios estão cadastrados no sistema do banco federal em 14 estados. A medida, que valerá a partir de 13 de julho, deve gerar uma redução de pelo menos 40 dias na liberação do registro, já que um contrato comum leva, em média, 45 dias para passar por todo o processo burocrático de liberação.

 

*Reportagem original da Isto é Dinheiro, escrita por Diego Felix.

Amanda Araújo

É estudante de Comunicação Organizacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Categorias