Amanda Araújo

No mês de Novembro inicia-se a campanha Novembro Azul que tem como objetivo orientar a população masculina a cuidar melhor da saúde e procurar o médico com mais frequência.

Criada em 2003, na Austrália, o movimento aproveitou a comemoração do Dia Mundial do Combate ao Câncer, que ocorre todo dia 17 de Novembro, para se firmar como uma campanha mundial voltada para a saúde do homem.

Em diversos países o Novembro Azul é mais do que uma campanha voltada a prevenção do câncer de prostata. Reuniões ocorrem para que sejam debatidas diversas outras doenças como o câncer dos testículos, depressão masculina, entre outras. Tradicionalmente o mês de novembro era conhecido como o mês de combate a diabetes, seguindo a data de 14 de Novembro, data do nascimento do Dr. Banting, descobridor da insulina.

No Brasil, a campanha foi idealizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida. Vem para 2019 com a #azultitude , para concientizar os homens brasileiros sobre a importancia de serem protagonistas de sua saúde, cuidando dela de maneira integral. Inumeras ações serao realizadas durante o mês de novembro para alertar sobre a importância de adotar hábitos saudáveis, da realização dos exames necessários para a detecção do câncer de prostata precocemente.

Centenas de ações ocorrerão em todo o Brasil, tais como Circuitos da Saúde, palestras, ações em estradas, estádios de futebol e locais de grande fluxo de público. A iluminação de monumentos públicos e até mesmo imóveis particulares já estão se tornando tradição nas cidades brasileiras em apoio a campanha.

Nomes conhecidos do público brasileiro, como o ex-jogador de futebol Zico e o chef de cozinha Henrique Fogaça, são padrinhos da campanha “Seja herói da sua saúde” realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Zico já apoia a iniciativa há alguns anos e mesmo morando no Japão, onde atualmente é técnico do Kashima Antlers, fez questão de participar. “Apoio a iniciativa porque a população e, principalmente, o homem precisa saber do alto índice de câncer de próstata e todo cuidado é pouco. Cuidar da saúde e fundamental e prevenir ainda é o melhor remédio”, disse.

Sobre o Câncer de Próstata:

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, de forma e tamanho semelhantes a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Todo homem com idade acima de 50 anos deve procurar um profissional e iniciar o acompanhamento e análise do risco de ter câncer de prostata. Já para aqueles de raça negra, com obesidade morbida ou ainda com parentes de primeiro grau que tiveram câncer de prostata devem começar este acompanhamento aos 45 anos.

Além do próprio câncer, o exame após os 50 anos pode detectar alguns problemas como o crescimento benígno da glândula, o que gera dificuldades de micção. Isto atinge cerca de 50% dos homens acima dos 50 anos. Também pode ser detectado a prostatite, que é a inflamação da prostata.

Estatísticas:

O câncer é a segunda causa de mortes no país. Nos últimos 15 anos, os números de mortes por câncer aumentou 31%.

No ano 2.000 o número de óbitos foi de 152mil homens, aumentando para 223,4Mil em 2.015.

O câncer de próstata é a segunda maior causa de morte pela doença entre homens no Brasil, perdendo apenas para o câncer de Pulmão.

A cada seis homens, um é portador da doença. A estimativa do INCA é de que, por ano, 69 mil novos casos sejam diagnosticados, um caso a cada 7,6 minutos.

No ano de 2018 foram diagnosticados 68.220 novos casos, representando 31,7% dos casos de câncer no país (fonte: MS / INCA / Estimativa de Câncer no Brasil, 2018). Já em 2017 a mortalidade seguindo a localização primária do tumor, o câncer de prostata foi responsável por 13,4% dos casos de morte, representando 15.391 óbitos, ficando em segundo lugar, atrás apenas dos casos de câncer de traqueia, brônquios e pulmões (MS / SVS/DASIS/CGIAE/Sistema de Informação sobre Mortalidade, 2019).

Assim como os novos casos, o custo do câncer no Brasil vem aumentando significativamente, em 2010 foram gastos mais de 2,1 bilhões de reais no combate da doença, em 2015 este número aumentou para 3,5 bilhões, um acréscimo de mais de 65%.

Já os cientistas estimam um aumento de 70% do diagnóstico de novos casos nas próximas décadas, tendo um número de 21,4 milhões de novos pacientes até 2.032.

Prevenção:

A prevenção é ainda o maior aliado para que consigamos reduzir estes números. Por isso as campanhas de prevenção e conscientização da população sobre os fatores de risco é tão importante, além é claro de investimento em pesquisas, mapeamento genético e acesso aos tratamentos.

No caso do câncer de próstata, se for descoberto precocemente, há 90% de chances de cura!

Diagnóstico:

A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal. Os exames consistem na dosagem sérica do PSA e no exame de toque retal, que são complementares, pois cerca de 20% dos casos não são detectados pelo PSA.

Infelizmente, o preconceito ainda é o maior obstáculo no combate da doença. Apenas 32% dos homens fazem o exame do toque, o qual é ainda o mais confiável e acertivo para o diagnóstico. 47% dos homens com câncer de prostate, em estágio avançado, desconhecem que tenham a doença. 1 em cada 6 homens terá câncer de próstata.

Sintomas (só aparecem nos casos avançados):

– Vontade de urinar com urgência;

– Dificuldade para urinar;

– Levantar-se várias vezes à noite para ir ao banheiro;

– Dor óssea;

– Queda do estado geral;

– Insuficiência renal;

– Dores fortes no corpo.

Fatores de Risco:

– Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos);

– Histórico familiar;

– Raça (maior incidência entre os negros);

– Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos;

– Sedentarismo;

– Obesidade.

http://portaldaurologia.org.br

https://www.ladoaladopelavida.org.br/novembro-azul/

https://www.inca.gov.br/numeros-de-cancer

Amanda Araújo

É estudante de Comunicação Organizacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Categorias