Amanda Araújo

Quem tem uma propriedade, seja uma casa, um apartamento, uma sala comercial ou um terreno, muitas vezes tem necessidade de vender. Os motivos são diversos e cada caso é um caso, desde mudanças de cidade por questões profissionais, até a necessidade de um imóvel em determinada localização, uma área maior, ou ainda a chegada de um novo integrante na família. Mas será que você sabe tudo que é preciso saber para colocar o seu imóvel à venda com segurança?

Esta é a dúvida de boa parte dos proprietários que chegam a conclusão de que querem se desfazer de um patrimônio imobiliário, ainda que por uma ótima causa. A boa notícia é, que do outro lado, sempre haverá aqueles que estão dispostos a adquirir o imóvel com tranquilidade e felicidade.

Para colocar o seu imóvel à venda, primeiramente, será necessário que você observe e entenda bem como funciona o mercado. Se é para se desfazer do seu imóvel, que seja de forma bem planejada e estratégica, por um valor que vale a pena vendê-lo e que não te faça se arrepender mais tarde.

Assim, vejamos alguns passos básicos:

Como colocar o meu imóvel à venda?

O primeiro passo é pesquisar por uma empresa que irá lhe auxiliar na venda, promovendo a divulgação e disponibilizando profissionais competentes para vender. Mas, também é muito importante que você busque uma imobiliária que realize um trabalho sério e profissional, onde podemos citar como pontos mais importantes:

AVALIAÇÃO E PREÇO DE VENDA DE ACORDO COM VALORES DE MERCADO: Conhecer o mercado imobiliário é importante para se ter uma ideia da situação da economia em geral e do quanto se pode pedir para fechar uma venda. Se o valor solicitado for muito além do praticado no mercado, o imóvel poderá ficar parado muito tempo, gerando custos de manutenção e financeiros, sofrer algum tipo de deterioração, o que o faria perder ainda mais o valor de mercado. De outro lado, se o imóvel for subavaliado, você deixa de receber o valor justo pelo seu bem, perdendo dinheiro. Procure empresas que façam avaliação do imóvel através de pesquisa ampla e profissional, baseada em diversos fatores, para precificar o valor real de venda. A avaliação deve ser feita com análises e sem “achômetros”.

DIVULGAÇÃO: para divulgar, procure uma empresa moderna, com foco em divulgação digital. O ideal é que se utilize todas as redes sociais disponíveis por aí, como Facebook, Instagram, WhatsApp, Linkedln, além dos importantes portais imobiliários. Enfim, todos os lugares possíveis e que podem mobilizar ainda mais interessados nas buscas. As fotos são um capítulo a parte, e devem ser feitas por fotógrafos profissionais, que sabem explorar o que de melhor tem no imóvel, com os melhores ângulos e iluminação mais adequada, para que assim atraia mais olhares para o seu anúncio.

Verifique se a imobiliária que está vendendo o seu imóvel está disponibilizando as informações em diversos tipos de mídia e como é a exposição digital da empresa, o volume de tráfego do site e indicadores digitais, uma vez que nos dias atuais o meio digital é a principal e a primeira porta de entrada dos clientes que buscam um imóvel para comprar.

DOCUMENTAÇÃO: a venda de imóvel é algo muito sério e compreende diversos e imprescindíveis documentos, por isso a imobiliária que você pesquisar deve realizar uma completa análise de documentação, tanto do imóvel como dos vendedores, para que não exista nenhuma surpresa no processo de fechamento de negócio. Se você quiser saber mais sobre documentação , acesse este link: https://bit.ly/2kHauJc e tenha informações mais detalhadas.

IDONEIDADE: procure por empresas com histórico e idôneas, com registro no CRECI PR, bem como o registro dos corretores que lá trabalham. Pergunte sempre o número de registro da imobiliária e do corretor que lhe atende.

Acima, listamos alguns fatores que você deve se informar a respeito da imobiliária que vai vender o seu imóvel, mas também não podemos deixar de lado outros tópicos que igualmente serão importantes e devem ser considerados na sua jornada de venda:

DEIXE O APEGO EMOCIONAL DE LADO: o apego emocional pode atrapalhar a venda. Em muitos casos, o proprietário crê que o imóvel tem um valor muito acima do que o mercado paga ou pode pagar.

Ás vezes, a proposta feita é maravilhosa, mas o apego não deixa o negócio ser concretizado. Portanto, deixe o lado emocional de fora e pense que, da mesma forma que sua família foi feliz com ele, outras famílias também serão. E “bora” ser feliz resolvendo a vida.

Temos ainda duas situações importantes que devem ser consideradas quando recebemos proposta de pretenso interessado.

A primeira situação é que o vendedor não deve se ofender caso venha uma proposta com valor considerado indecente, uma vez que pode existir apenas a intenção de abrir uma negociação e não necessariamente que o negócio seja fechado por valor indecente. Se ofender pode fazer você perder um bom negócio, mesmo que inicialmente ele pareça totalmente fora de propósito. Veja esta situação como uma abertura de negociação.

A segunda situação que também pode ser considerada é que muitas vezes recebemos propostas nos primeiros dias de anúncio. Perdê-las, por achar que veio muito rápido, às vezes pode ser um erro. Uma vez que isso não é garantia de uma segunda proposta rápida e com melhor valor. Sempre que um imóvel entra para venda, a tendência é de ser visto por mais pessoas, como “carne fresca” no mercado e receber propostas muito cedo, se a proposta estiver dentro de seus parâmetros, não perca!

EXCLUSIVIDADE: um pensamento que ocorre algumas vezes é o mito de que se eu deixar o meu imóvel em diversas empresas, para o mercado todo vender, as minhas chances de venda aumentam muito. O que na verdade é um tremendo erro, pois diversas situações negativas podem ocorrem a partir de múltiplos anúncios de diversas imobiliárias.

Acreditamos muito que os imóveis devem ser postos à venda de maneira exclusiva, por alguns dos fatos que listamos abaixo:

– com a divulgação digital e o uso recorrente de parcerias, o seu imóvel será exibido a todo o mercado e praticamente todas as imobiliárias farão parcerias para a venda se for necessário, mas com a vantagem de somente uma empresa administrar a negociação;

– Se existem muitos anúncios de um determinado imóvel, pode ocorrer de o mercado interpretar a situação como de “urgência de venda” e as propostas podem vir com valores muito baixos. Além de que algumas características podem ser imputadas de forma errada e termos anúncios com variação de preço, metragens e até mesmo valores de condomínio divergentes;

– Imagine seu imóvel com diversas placas de venda em frente ao seu imóvel, que imagem pode passar ao mercado? Falando em placas, este é o segundo ponto mais vendedor, segundo as pesquisas. Um imóvel com uma placa tem muito mais chances de ser vendido do que aquele que o proprietário não colocou o aviso na frente. Lembre-se que quem marca uma visita para ver um imóvel, no caminho, vai olhando o que mais tem a venda na região e geralmente aproveita o passeio para marcar novas visitas!

– apenas uma pessoa conversa com o proprietário, que não precisa atender a diversos corretores. Este único corretor é o seu contato para saber tudo o que está acontecendo em termos de propostas, visitas e, é claro, de responsabilidades junto ao imóvel;

– a imobiliária conhece a dinâmica do vendedor e, se for o caso, do prédio ou condomínio, orientando melhor quanto a dias e horários das visitas, além de conhecer o imóvel com riqueza de detalhes e o que pode ou não ser aceito pelo proprietário;

– a imobiliária é responsável por diversos itens, como janelas e portas abertas. Uma única janela deixada aberta, em um dia de chuva, pode fazer um grande estrago em móveis e pisos de madeira! Se seu imóvel estiver em diversas imobiliárias, qual delas será responsabilizada pelo prejuízo?

Tudo que falamos neste artigo é muito importante, pois sabemos que imóveis são parte considerável do patrimônio das pessoas e mexem com diversas emoções, com o planejamento de vida das famílias e por isto temos que ter muito respeito e cuidado. A imobiliária que vai ofertar o imóvel ao mercado tem de entender isso, e saber da responsabilidade que isto representa.

Ao vender, lembre-se: amanhã, poderá ser a sua vez de comprar! Como você gostaria que fosse essa compra? Propicie a mesma experiência positiva ao comprador/investidor interessado no seu imóvel e faça deste momento, uma experiência alegre e recompensadora.

Ótimos negócios!

Amanda Araújo

É estudante de Comunicação Organizacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Categorias