Amanda Araújo

Todo ano, no mês de outubro, as cidades são pintadas de rosa. Esta foi a cor escolhida para colorir a campanha de luta contra o câncer de mama.

A iniciativa de criar uma campanha para que as mulheres ficassem mais atentas aos riscos do câncer de mama foi criada na década de 90, nos Estados Unidos. Nova York foi a cidade escolhida para sediar a primeira Corrida pela Cura, ela acontece todos os anos, e nela foi lançado pela Fundação Susan G. Komenfor the Cure (www.komen.org) o laço cor de rosa, que é conhecido até hoje como o símbolo da campanha.

Em 1997 nas cidades de Yuba e Lodi, nos Estados Unidos, entidades começaram a comemorar e criar ações voltadas à prevenção do câncer de mama, estas ações foram denominadas de Outubro Rosa e tinham como objetivo a conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce da doença. Laços rosas começaram a ser instalados em prédios públicos, eventos como desfiles de moda onde pessoas que tinham sido curadas eram as modelos, partidas dos mais variados esportes e posteriormente a iluminação de construções com a cor rosa foram tomando o mundo.

Sobre o Câncer de Mama

A multiplicação desordenada de células anormais da mama é o que causa a doença, a qual tem cura desde que seja descoberta precocemente. Daí a importância do auto exame e da visita ao médico.

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo. No Brasil, em 2018, foram detectados 59.700 novos diagnósticos positivos, isso representa 29,5% dos novos casos de câncer no país a cada ano. Em 2017 este percentual foi de 16,1% dos casos de câncer diagnosticados em mulheres, onde tivemos 16.724 novos casos.

Fonte:

MS / SVS/DASIS/CGIAE/Sistema de Informação sobre Mortalidade, 2019
MS / INCA / Coordenação de Prevenção e Vigilância / Divisão de Vigilância e Análise de Situação, 2019

O câncer de mama não tem somente uma causa, porém a idade é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença. Segundo estudos, cerca de 4 em cada 5 casos ocorrem após os 50 anos de idade. Outros fatores relevantes são:

– Obesidade e sobrepeso após a menopausa;

– Sedentarismo;

– Consumo excessivo de bebida alcoólica;

– Exposição frequente a raios-x;

– Primeira menstruação antes dos 12 anos;

– Não ter filhos;

– Não ter amamentado;

– Primeira gravidez após os 30 anos;

– Menopausa após os 55 anos;

– Uso de contraceptivos hormonais;

– Ter feito reposição hormonal por mais de 5 anos, pós menopausa.

– Casos de câncer na família;

– Histórico de câncer de mama em homens da família;

– Histórico familiar de câncer de ovário.

Uma observação importante e que a grande maioria da população não sabe é que homens também podem desenvolver a doença.

Sinais e Sintomas

Detecção Precoce

A maior parte dos cânceres de mama é descoberto pelas próprias mulheres através do auto exame. Quando é descoberto na fase inicial, as chances de tratamento e cura aumentam consideravelmente. Apesar da fundamental importância do auto exame, para mulheres acima dos 50 anos é extremamente recomendável que seja feito, a cada 2 anos, uma radiografia das mamas, a conhecida mamografia.

http://outubrorosa.org.br

http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/cancer-mama.asp

Amanda Araújo

É estudante de Comunicação Organizacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Categorias